A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Games Projetos Gringos

GTA em um cockpit com simulador de movimentos! Por que ninguém pensou nisso antes?

Há quem se contente em acelerar seus carros favoritos no mundo virtual em um game ao estilo arcade — jogabilidade simples, física surreal e diversão acima de tudo. No entanto, existem aqueles que preferem simuladores para ter uma experiência mais próxima da real de conduzir o esportivo dos seus sonhos.

Estes podem ser mais casuais, como Gran Turismo Forza Motorsport, ou absurdamente realistas, com diversos parâmetros variáveis que tornam a física (e o desafio) muito mais próximos da experiência de guiar um carro de verdade. Um bom volante com force feedback ajuda muito nisso, mas há quem prefira ir além e adicionar um cockpit com simulador de movimentos.

Já falamos de alguns deles aqui no FlatOut — como o CXC Motion Pro II, que promete ser realista a ponto de poder te machucar; e o Racing Cube, um dos mais acessíveis do mercado. Usando sistemas hidráulicos, amortecedores e motores elétricos, os cockpits com simulador de movimento reproduzem as forças G a que um piloto é submetido quando está em um carro de verdade, tornando a experiência muito mais parecida com o real deal. O escaneamento a laser de circuitos famosos, como Nürburgring Nordschleife, também contribuem para isto.

É admirável o esforço que as companhias fazem para manter seus cockpits de movimento sempre atualizados, não? Afinal, qualquer piloto profissional poderá te dizer que simuladores, mesmo mais simples, ajudam bastante nos treinos quando não é possível ir para a pista — mesmo que ainda faltem, obviamente, variáveis mais complicadas de se reproduzir virtualmente (condições do asfalto, temperatura dos pneus, stress dos componentes etc), as forças resultantes das acelerações e frenagens ajudam a dar uma noção maior de como é estar naquele circuito, naquele carro.

Mas aí, vem uma galera e decide avacalhar, usando um simulador de movimentos para jogar… GTA V — que, como sabemos, não é nenhuma referência de física realista. Aliás, fora os gráficos, nada em GTA V é o que podemos chamar de realista, não é?

Teoricamente, um simulador de movimentos lê as informações enviadas pela física do jogo — aceleração e desaceleração, inércia e, nos mais sofisticados, condições do piso — e usa o sistema hidráulico, com suas molas, amortecedores e motores elétricos, para simular o efeito destas informações com movimentos. Sendo assim, em tese, seria possível “ensinar” a plataforma de movimentos a ler as informações enviadas por qualquer game. E, bem, foi exatamente isto o que os caras da Force Dynamics, empresa especializada em plataformas de movimentos para simuladores. O resultado parece muito, mas MUITO divertido:

Baseada em Nova York, nos EUA, a Force Dynamics é uma companhia relativamente pequena, e uma das várias que desenvolvem plataformas de movimento. O modelo 401cr é o topo de linha da Force Dynamics.

A empresa diz ser um únicos no mercado a reproduzir o movimento de rotação de um automóvel em tempo real. Ao contornar uma curva, por exemplo: o cockpit fica sobre rodas, e movimenta-se de acordo com o ângulo do carro na pista virtual.

Com este recurso à disposição, a Force Dynamics achou que seria uma boa ideia fazer uma experiência: se o 401cr é capaz de simular movimentos em softwares com física realista, como iRacing e rFactor, de que a plataforma seria capaz ao lidar com uma física exagerada, quase cartunesca?

De acordo com a Force Dynamics, o resultado foi melhor que o esperado: como o jogo permite que você use vários tipos de veículos, GTA V oferece diversas formas de explorar a capacidade da 401cr. Em um carro, acidentes de pista se tornam colisões no trânsito cujo impacto é transmitido fielmente ao corpo do jogador. E como os carros são muito mais “leves” e não respeitam as leis da física no mundo real, as sensações corporais proporcionadas pela plataforma são amplificadas.

Ao entrar em um avião, a plataforma se adapta à nova física — quando se aumenta a altitude, a plataforma joga seu corpo para trás e você fica colado no banco. Em uma montanha russa (sim, há montanhas russas), o modo como a máquina reproduz as curvas, loopings e até as emendas nos trilhos é impressionante de verdade.

O vídeo foi postado no canal oficial da Force Dynamics. A descrição, em tom de brincadeira, diz que “a chefia da empresa não apoia este experimento”. No entanto, eles não deixam de elogiar a física detalhada de GTA, e observa que só com uma plataforma de movimentos é possível usufruir de todos os seus recursos.

Eles também avisam que estão trabalhando em algo para tornar a experiência ainda mais realista e envolvente: o suporte ao Oculus Rift, dispositivo que funciona como um par de óculos de realidade virtual e dispensa o uso de monitores. Ah, como a gente adoraria botar as mãos neste brinquedo!

Matérias relacionadas

Os melhores hot hatches do universo: Volkswagen Golf R32

Dalmo Hernandes

As versões mais legais do Chevette que não tivemos no Brasil

Dalmo Hernandes

As lendas do automobilismo brasileiro no Velo Città, “Coisas de Hondeiro”, um rolê em uma legítima touge japonesa e mais nos melhores vídeos da semana!

Dalmo Hernandes