A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

O fim da era aspirada: agora todo Porsche 911 será turbo – conheça as novidades

De agora em diante, todo Porsche 911 será turbo. Não estamos falando de uma promoção de todas as 21 versões do modelo a uma só, mas sim de um sinal dos tempos. É preciso oferecer motores mais eficientes, que rendam mais e que sejam também mais econômicos. E só os turbinados conseguem essa mágica a um custo competitivo. É por isso que agora todos os motores do Porsche 911, da versão mais simples à mais sofisticada, terão turbocompressor.

Porsche-911-2016-5

O fim da era aspirada vem acompanhada da reestilização do esportivo, de um novo sistema de som multimída e de rodas traseiras esterçantes. A seguir, vamos ver cada uma das novidades em detalhes:

 

Porsche-911-2016-6

Todo boxer de seis cilindros sob o capô traseiro dos 911 será biturbo. Nas versões Carrera, ele tem três litros, assim como o primeiro Porsche 911 turbinado da história, o 930, também chamado de widowmaker (fazedor de viúvas), por conta de seu comportamento arisco. Isso se explica pelo motor pendurado atrás do eixo traseiro e também pelo fato de os motores turbo do passado não terem a mesma progressividade dos atuais. Quando o turbocompressor começava a atuar, o que vinha era um coice daqueles. Se você estivesse em uma curva ou em qualquer outra situação em que isso não deveria acontecer, a chance de sair virado para o lado errado era alta.

Porsche-911-2016-7

Não é o que acontece com os Porsche Turbo modernos e certamente não é o que se verá nos novos 911 Carrera com motores turbinados. A potência deles varia de acordo com a versão. Na de entrada, chamada apenas de Carrera, o boxer gera 370 cv. Na Carrera S, o mesmo motor tem potência ampliada para 420 cv. É um aumento de 20 cv nos dois casos em relação às versões anteriores do 911.

Porsche-911-2016-8

O torque também melhorou (6 mkgf), passando a 45,8 mkgf no Carrera e a 50,9 mkgf no Carrera S, sempre entre 1.700 rpm e 5.000 rpm. O motor gira a 7.500 rpm, algo extraordinário em motores turbinados.

Outra melhoria sensível trazida pelos turbos foi no consumo. O 911 Carrera e o Carrera S estão 12% mais eficientes, com 13,5 km/l para o primeiro e 13 km/l para o segundo. Com o câmbio PDK, automatizado de dupla embreagem, o Carrera acelera de 0 a 100 km/h em 4,2 s, ou dois décimos de segundo mais rápido que o anterior. A máxima é de 295 km/h. O Carrera S faz o mesmo em 3,9 s, também dois décimos mais rápido. É o primeiro dos 911 Carrera a quebrar a barreira dos 4 segundos. Ele chega a 308 km/h.

Porsche-911-2016-10

Quando vem equipado com o Sport Chrono Package, o 911 Carrera traz um elemento que só foi oferecido antes no 918 Spyder: um seletor no volante para os modos de direção Normal, Sport, Sport Plus e Individual. Este último permite que o motorista estabeleça parâmetros próprios para a suspensão, com o PASM (Porsche Active Suspension Management), os coxins ativos do motor, a estratégia de trocas do PDK, quando ele está presente, e o sistema de escapamento esportivo.

Todo 911 com câmbio PDK e com Sport Chrono Package vem também com o botão “Sport Response”. Ele condiciona o motor e seu gerenciamento para a aceleração máxima por 20 segundos, o que ajuda em manobras de ultrapassagem, por exemplo. E trabalha em conjunto com a PDK, que seleciona sempre a marcha mais adequada para a aceleração máxima.

Com a reestilização, o PASM passa a ser item de série para todos os Carrera. O sistema é capaz de reduzir a altura da suspensão em até 1 cm, ajudando a controlar a carroceria em curvas rápidas e fechadas. Novos amortecedores, com curso mais longo, tornam o rodar mais confortável, assim como melhoram a resposta da carroceria em condução esportiva.

911 Carrera S

As rodas traseiras esterçantes passam a ser um opcional para o Carrera S. Hoje, ele equipamento de série no Porsche 911 Turbo e no GT3. Ele atua de duas formas: em manobras de baixa velocidade, as rodas traseiras esterçam em direção oposta às dianteiras, o que dá mais agilidade às manobras e diminui o diâmetro de giro do carro. No caso do novo 911, ele fica meio metro menor. Em altas velocidades, ele esterça as rodas traseiras na mesma direção das dianteiras.

Já fizemos um post inteiro sobre o sistema do GT3, mas vale uma explicação sucinta de como ele funciona, também. Dois atuadores eletromecânicos, um para cada roda traseira, são colocados do lado oposto aos braços de controle. Em ação, eles podem mudar o ângulo das rodas em até 1,5º. É pouco, comparado às rodas dianteiras, mas é suficiente para mudar o comportamento dinâmico do esportivo. Veja no vídeo abaixo como ele funciona

Para ajudar o 911 a lidar com rampas e guias do trânsito diário, o modelo agora oferece um sistema de levantamento hidráulico da dianteira. Instalado no eixo dianteiro, ele levanta a frente do carro em 4 cm em cerca de cinco segundos.

O PCM (Porsche Communication Management System), também conhecido como sistema multimídia da Porsche, traz como novidade um sistema de dados do trânsito em tempo real nos países que oferecem o serviço. Comandos de voz podem operar o sistema, que conta com tela sensível ao toque de 7 polegadas. O Google Earth e o Google StreetView foram integrados ao PCM pela primeira vez.

Porsche-911-2016-13

A parte tecnológica do carro vai muito além do sistema de som. Ele traz um controlador de velocidade adaptativo que freia o carro quando a velocidade máxima é excedida (em descidas, por exemplo) e que incorpora o coasting, um nome bacana para banguela controlada eletronicamente. O assistente de mudanças de faixa avisa se há carros nos pontos cegos do carro. O sistema de frenagem automática pós-colisão agora é oferecido de série para todos os 911.

Porsche-911-2016-14

Na aparência, o volante é novo, baseado no que era utilizado no 918 Spyder. O básico tem diâmetro de 375 mm. O mais esportivo, da linha GT, opcional, de 360 mm. Os faróis agora trazem luzes diurnas de LED de quatro pontos, novas lanternas traseiras, com luzes de freio de quatro pontos e um novo aerofólio traseiro. As rodas de liga leve vêm com cinco raios duplos e pneus de baixa resistência à rolagem. As rodas traseiras são mais largas, com 29 cm, e usam pneus 305/30 ZR20, em vez dos antigos 295/30 ZR20.

O novo Porsche 911 começa a ser entregue na América no Norte no primeiro trimestre do ano que vem, mesma época em que ele deve chegar por aqui. Na Europa, as vendas devem começar pouco tempo depois do Salão de Frankfurt, onde a estreia oficial para o público está marcada para acontecer.

Matérias relacionadas

Grande veneno, pequeno frasco: aceleramos o BMW M2 no autódromo da Capuava

Juliano Barata

Mercedes-Benz GLA 200 é lançado no Brasil por a partir de R$ 132.900

Juliano Barata

Genovation GXE: que tal um Chevrolet Corvette elétrico de 800 cv com câmbio manual de sete marchas?

Dalmo Hernandes