A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

O que sabemos sobre o Hyundai Creta brasileiro até agora

No final de setembro a Hyundai Motor Brasil (que não é a mesma empresa que a Hyundai CAOA) anunciou sua resposta tardia aos SUVs compactos brasileiros ao confirmar a produção do Creta no Brasil. O modelo será lançado somente na próxima semana, durante o Salão do Automóvel e chegará às lojas somente em janeiro de 2017, mas isso não impediu a fabricante de divulgar alguns detalhes do Creta brasileiro. Veja o que já sabemos sobre ele até agora.

 

Parecido mas diferente

O Creta já é vendido desde 2015 em outros mercados emergentes como Índia, Rússia e China. Nestes países o modelo é baseado na plataforma estendida do HB20 e movido por um motor 1.6 de 123 cv, com um 2.0 16v de 149 cv, ou com um 1.4 a gasolina de 90 cv.

O Creta nacional terá as mesmas formas gerais do Creta estrangeiro, porém terá para-choques, grade dianteira e outros detalhes do design externo diferentes. Isso ficou evidente logo nos primeiros teasers publicados pela Hyundai Motor Brasil. Veja a comparação entre a dianteira dos modelos (o nacional está à esquerda):

CretaBrasileiroFrente

A grade do Creta brasileiro é mais alongada verticalmente, mais próxima do atual HB20 e do novo Tucson – note que o suporte da placa toca a base da grade no modelo nacional. Nele os faróis de neblina são horizontais em vez de verticais e o “queixo” do para-choques também foi redesenhado.

Nas laterais a diferença é apenas o rack do teto, mais integrado no modelo nacional. Também é possível notar a diferença do formato dos para-choques. Especialmente o traseiro, que tem a parte inferior sem pintura mais elevada, o que deve resultar em um ar mais robusto no modelo nacional.

CretaNacionalLAteral

Na traseira nota-se as lanternas com arranjo interno diferente, novas luzes de neblina, régua da placa na cor da carroceria e o falso extrator traseiro remodelado.

CretaTraseira

 

Além do visual, o Creta nacional será baseado em outra plataforma: enquanto os modelos estrangeiros são feitos sobre a base do HB20, o brasileiro usará a plataforma do Hyundai Elantra.

 

Motores

Na ocasião do anúncio apostamos no motor 2.0 do Elantra, que já é usado na versão russa, e é mais adequado para encarar os rivais que o Creta pretende encarar — Duster, Tracker, EcoSport, HR-V etc. Além disso, a Hyundai havia dito que o motor seria diferente do 1.6 do HB20. Nesta segunda-feira (31) a Hyundai confirmou que o Creta brasileiro terá duas opções de motorização, uma 1.6 16v e outra 2.0 16v.

HYUNDAI_CRETA_BADGE.2.0

Como a marca havia dito, o motor 1.6 diferencia-se do Gamma G4FC 1.6 do HB20 pelo sistema de variação do comando de válvulas no escape e na admissão, o que irá resultar em uma curva de torque melhor distrubuída ao longo da faixa de rotações. A potência não foi declarada, mas a única versão do motor Gamma aspirado com comando duplo variável e injeção no coletor é o G4FG, com 134 cv. Com a adaptação para rodar com álcool ele deve ganhar taxa de compressão mais elevada e chegar aos 136 ou 138 cv.

Já o motor 2.0 será o mesmo adotado no Elantra, o Nu Mpi, que produz 167 cv. Na imagem abaixo o motor divulgado pela Hyundai Motor Brasil nesta segunda-feira está à esquerda, ao lado do Nu Mpi 2.0 do i40 europeu. Note o desenho do bloco, a posição das polias e acessórios, a admissão praticamente idêntica, assim como posição da vareta e da tampa do óleo.

NuMPI20

A tampa do porta-malas aparentemente dispensou a régua cromada sobre a placa de registro, ganhando no lugar um friso que atravessa toda a extensão da traseira. O para-choques traseiro também tem um desenho modificado, com um aplique que simula um extrator de ar diferente do modelo estrangeiro. Na dianteira os faróis parecem ser idênticos, com projetor superelipsoidal e uma linha de LED que deverá servir de DRL, enquanto os faróis de neblina serão menores e horizontais.

 

E quanto vai custar?

Bem, nesse campo tudo o que temos são especulações. Considerando que o Tucson 2016 custa cerca de R$ 67.000 e que o ix35 parte dos R$ 100.000, é provável que o Creta será encaixado neste gap de preços, partindo de algo próximo dos R$ 68.000 e chegando muito perto do R$ 90.000, encarando desde as versões de entrada de Duster e EcoSport com o modelo 1.6 e chegando ao Honda HR-V e Chevrolet Tracker com a versão 2.0 na parte alta do segmento.

Matérias relacionadas

Japoneses reconstruíram esta avenida em menos de uma semana

Leonardo Contesini

Novas placas do Mercosul são adiadas mais uma vez

Leonardo Contesini

53 milhões de carros: recall de airbags da Takata é o maior da história. E pode te afetar

Gustavo Henrique Ruffo