A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #211

Project Cars #211: a história e a preparação do meu Citroën DS3

Quem é vivo sempre (re)aparece. Sou Luiz Fernando Lopes de Oliveira, ex-proprietário do PC #069, o Peugeot 208 GTi aspro, e atual dono de um DS3, objeto de alegrias e assunto para esta e para as próximas matérias.

Tudo começou com a infelicidade que o antigo Project Car me trouxe. Ele era ótimo, mas por um erro do mecânico, que teimou em colocar bicos de Megane Flex no 208, o carro não rendia, além de não ligar pela manhã, pois o sistema de aquecimento não “conversava” com os bicos.

IMAGEM 1 - 208

Depois de meses correndo atrás de resolver esse problema com o referido mecânico, e distante 400 km da oficina, mudei meu foco e troquei o local onde mexia em meu carro, procurando uma oficina na cidade que resido atualmente (Londrina/PR). Apresentado por um colega de trabalho, acabei conhecendo a Atomic Motorsport, empresa esta que diagnosticou o problema, trocando os bicos pelos originais novamente, retirando o Unichip e fazendo uma reprogramação diretamente na central.

Depois de tanto tempo, o carro voltou a ser rápido e constante como queria. Em um dos churrascos organizados por eles para os clientes, porém, conheci um dono de DS3, que mostrou seu veículo e me informou que havia um exemplar de cor branca na cidade, de único dono e quilometragem baixa à venda. Na mesma semana, fui ver o carro, andei com ele, me apaixonei e fechei negócio, trocando um PC por outro. Simples assim!

IMAGEM 2 - DS3 LOJA

Devo admitir que, num primeiro momento, não achei o bichinho tudo isso não. Esperava uma pegada bruta, aos moldes do carro do pai (um GTI 2014 com unichip, intake APR e downpipe) – Brincadeira! – , mas me parecia igual ou até mais fraco que meu antigo carro. Apenas parecia. Em seu primeiro teste de 0-100 em minhas mãos, cravei 7,2 s na criança, e todas as dúvidas desapareceram!

Como um aficcionado por modificações, tracei algumas metas, assim digamos, modestas. Queria instalar as molas e os freios maiores, que havia retirado do 208 antes de vender; fazer os DRL funcionarem juntamente com os faróis; instalar projetores nos faróis, fazendo a técnica chamada de retrofit, pois queria usar as lâmpadas de xenon, mas não compactuo com o modo vila de uso; além de um remapeamento da ECU; instalação filtro esportivo K&N, também retirado do 208; e um sistema de escape menos restritivo, com a colocação de um downpipe.

 

Iluminação

IMAGEM 4 - DS3 PROJETOR DRL

Para início, fora realizada a parte de iluminação, comprando os projetores da Morimoto, modelo Mini H1 six.0, bem como a compra de fiação para realizar o Jump no fio das Daytime Running Lights, deixando-as funcionando integralmente. Tais processos, bem como o resultado final, seguem abaixo e neste link.

IMAGEM 3 - KIT MORIMOTO

 

Suspensão, freios e pneus

IMAGEM 5 - DS3 BAIXO

Para este quesito, conforme descrito anteriormente, escolhi por não inovar, afinal, em time que ganha, não se mexe. Foram utilizadas as molas H&R de código 29.118-1, bem como os freios de 302mm x 26mm, largamente utilizado nos carros maiores e turbinados da gama PSA. Também estava na hora da troca de pneus, e optei pelos Dunlop Sport Maxx 205/45 17, que custavam menos da metade dos Michelin Pilot Exalto originais, além de grudarem mais.

IMAGEM 6 - DS3 FREIOSIMAGEM 7 - DS3 PNEUS

 

Motor

IMAGEM 10 - DS3 DINAMOMETRO

Por fim, mas não menos importante, dei um novo passeio à Oficina que resolveu os problemas de meu antigo carro, e que daria o fôlego extra para o novo. Com a Atomic, inicialmente, o carro recebeu: um sistema primitivo de CAI, abrigando o filtro que havia retirado do Peugeot e retirando toda a caixaria do filtro de ar original; a válvula diverter da GFB, trocando a original, que não agüentaria por muito tempo o incremento de pressão; e um remapeamento na ECU do carro.

IMAGEM 9 - INTAKE INSTALADO IMAGEM 8 - INTAKE

Tais modificações deixaram o DS mais invocado, com melhores respostas, comprovada pelo 0-100 que baixou para 6.4s, economia de combustível, saindo da casa dos 9.5km/l na cidade para quase 12km/l, e com um barulho muito instigante, pois agora ele “espirrava”. A potência, que originalmente rendia 125 wHP, passou a saudáveis 156 wHP, e o torque, de 21kgfm na roda, passou para 27kgfm nas mesmas condições.

 

No próximo capítulo…

IMAGEM 11 - TURBINAS

O carro ficou rápido, estável e ancorando, mas isso não é motivo para parar o projeto. Solicitei aos experts da Atomic para fazermos o escape com downpipe, como desejava, pressurização em inox e o estudo de um IC frontal, pois acho lindo aquelas obras de arte aparecendo para amedrontar os outros, mas surgiu uma viagem para o exterior, e o rumo mudou…

Por Luiz Fernando Lopes, Project Cars #211

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Fiat Palio 1.8R Turbo: a montagem do motor e uma cara nova para o Project Cars #361

Leonardo Contesini

Project Cars #30 – começando a restauração mecânica do Dodge Dart De Luxo 1975

Leonardo Contesini

Project Cars #11: a vitória do Celta Outlaw na pista de Tarumã!

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados