A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #294

Project Cars #294: a difícil tarefa de construir um Escort de corrida do zero

Dessa vez o intervalo entre textos foi um pouco maior, mas aqui está eu e o Escortson de volta. O projeto continua firme e forte, sempre tendo alguns obstáculos no caminho, mas sempre conseguindo superá-los.

No último texto comentei o que aprendi na hora de “projetar um projeto”, nesse quero começar dividindo uma nova aprendizagem: se for fazer um swap, compre o motor completo, com tudo o que tem direito e periféricos! Você vai economizar MUITO tempo e MUITO dinheiro. Até um misero parafuso, pode transformar sua tarde tranquila na garagem em uma missão infernal de muito transito, sol, lugares esquisitos, e ainda reze para não dar o azar de pisar onde não deve (no meu caso, “adubo de vaca”). Digamos que ferro velho é um ambiente as vezes, desagradável. Sim, você pode comprar pela internet, ou comprar algumas peças novas, mas aí vem a questão do tempo e dinheiro, e o feeling de mexer no carro velho não seria o mesmo.

texto 6

 

Gentlemen, start your engines… daqui a pouquinho

O motor ainda está em fase de conclusão, alguns detalhes estão faltando e são extremamente difíceis de achar em ferro velho pela minha cidade, e algumas peças é difícil de achar até na internet. Lembrando, o motor AP que estou usando é o Bielão, do Golf GTI e GLX 2.0 do ano 94 a 98.

texto 6

O distribuidor que comprei foi do AP 1.6 e 1.8, que tem o apoio no bloco e a engrenagem menor que a do motor 2.0. Na hora da troca, a loja não tinha disponível o distribuidor correto, então troquei a peça por um radiador do Golf GTI MK3 novinho, que estava no fundo do estoque da loja a anos, filho único e empoeirado. Menos uma peça para procurar. O distribuidor é mais tranquilo de achar.

texto 6

 

Como comprei tudo separado, desmontado, de lugares diferentes, infelizmente muita cosa veio incompleta. Tive que fazer uma feira de parafusos de motor e comprar a chaveta para a polia do comando. Falando em polia… originalmente esse motor comporta ar condicionado e direção hidráulica, e as polias são poli V. como não vou ter nada disso, e como eu não tinha experiência com tantas opções de polia, acabei me confundindo todo. Depois de algumas frustrações (polias compradas erradas), terminei com todo o conjunto de polia (bomba d’água, virabrequim e alternador) do AP 1.8 carburado.

No meio da luta para achar a polia certa, acabei achando uma polia de alumínio feito especialmente para o Escort de corrida do meu pai. Ela tinha o diâmetro reduzido para tocar a bomba mais rápido, e era muito mais leve que a original. Porém, como meu motor vai girar quase 2000rpm a mais que o motor do Escort dicurrida, existe a chance da bomba não aguentar o giro extra quando usada com a polia reduzida. Para evitar problemas, usarei a polia original.

texto 6

Polia reduziada compara a polia original

Bocal da bomba d’agua, flange de água do cabeçote, mangueiras do radiador, reservatório de expansão, trava do distribuidor, prisioneiro do tensor da correia, bobina, talisca da tampa de válvulas, caixa de marcha, semieixos… tudo isso e mais algumas peças foram achadas em ferro velho.

As velas que serão usadas são grau 9, os cabos são OEM, e consegui a bobina original em um ferro velho. A caixa de marcha foi doada de um verona 1.8, um pouco feiosa, mas internamente em boas condições, por enquanto, será usada as engrenagens originais com um blocante. No futuro, investirei em uma relação bem escalonada de dente reto, e close ratio.

Uma das peças mais legais do projeto finalmente foi instalada. O coletor de admissão de ITBs (indepedent throttle bodies) de 45mmda Carlini competizione. Antes de chegar na minha humilde residência, o coletor foi enviado para a Paula Faria, para ter seus dutos dimensionados de acordo com o gabarito do meu cabeçote. Uma peça excelente! Tive que fazer uma leve abertura em uma das entradas do parafuso para casar com o cabeçote, coisa extremamente simples e que não vale a pena chamar de defeito. Um detalhe que é importante, que dei o feedback a Carlini, e tive uma resposta (positiva) quase instantânea, é a falta de uma tomada para a mangueira do sensor MAP. Também não é difícil de ser feito, porém é um detalhe importante e um produto desse nível deveria ter. Bom saber que existem empresas aqui no país que estão dispostas a ouvir os feedbacks dos clientes.

texto 6

Na parte de injeção, peguei a Protune PR330 Full, bicos Deka long 80lbs, e bomba de combustível AEM 320lph para etanol. Os bicos e a bomba ainda estão nos EUA, estão chegando em setembro, que é quando pretendo fazer o swap e acertar o motor novo.

 

Portas em automático

Falando um pouco sobre o interior do carro, estou finalizando os painéis de instrumentos e botões que serão usados. O painel de instrumento vai contar com pressão de óleo, pressão de combustível, temperatura de agua, e manômetro AEM de lambda (que está vindo com a bomba e os bicos, por isso não aparece na foto.).

texto 6

Já o painel de botões ficará responsável por acionar chave geral, partida, as duas bombas, luzes, e suportar o voltímetro.

texto 6

Porque estou fazendo com a placa do carro?

Minha resposta, porque não?

Estava organizando a garagem, a placa estava lá jogada no canto, não ia precisar no carro, tive pena de jogar no lixo, e ela virou um painel que vai se preso na parte superior do Santo Antônio.

texto 6

Por enquanto é isso galera, tem alguns detalhes que deixei para contar no próximo texto por se associar com peças que ainda serão adquiridas. Espero que tenham gostado, e de novo, qualquer crítica construtiva é bem-vinda! No último texto o pessoal ajudo um bocado com ideias e recomendações de leitura!

 

Bonus Points

Comentei sobre o Focus no meu último texto e algumas pessoas pediram fotos. Recapitulando, é um Focus GLX 2.0 manual com coletor 4x2x1, escape 2.5’’, rodas Volvo C30 T5 17’’, pneus Dunlop direzza DZ102 225/45, molas Eibach Pró-kit, e Short Shifter gambiarra edition com manopla deslocada (Acredite, funciona muito bem!).

Algumas peças dele também vão vir com os bicos e a bomba dos EUA. Os faróis de milha Hella comet 500, filtro K&N, projetores bi-xenom do farol, lâmpadas nokya 3000k para neblinas, milha, e alta, xenom 4300k para o projetor, buzinas Hella super loud azuis, e um belo de um Fart Can de inox entrada 2.5’’ e saída 4.5’’.

É isso galera! Abraço a todos e até a próxima!

Por Luiz Leão, Project Cars #294

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Como decidi salvar um Volkswagen Golf GTI mk3 1994

Leonardo Contesini

Project Cars #51: um novo motor B16 e a redução de peso do meu Honda Civic Coupe Supercharger

Leonardo Contesini

Peugeot 206 “WRC”: a transformação visual e o início da recriação

Leonardo Contesini