FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #432

Project Cars #432: a história do meu Nissan 350Z

E aí, meu povo! Tudo bem? Meu nome é Tulio Dourado, e sou o feliz proprietário do PC #432. Eu poderia começar o relato como todos os outros PC, contando como eu gosto de carros desde criança, todo meu contato com eles etc, certo? Certo! E é exatamente isso que irei fazer, porém de maneira resumida.

Meu pai nunca teve algum carro marcante ou clássico, mas desde os meus 3 anos, eu já era maluco com carro! Lembro de uma ocasião em que estávamos viajando à noite e dentro de um túnel, meu pai perguntou qual carro estava à nossa frente e acertei sem maiores dificuldades: era um Tempra, que reconheci apenas pela lanterna estilo “capacete do Senna”. O detalhe é que nem mesmo ele acertou.

Captura de Tela 2017-02-04 às 13.06.00

Já com quatro anos ele assinou Quatro Rodas para mim, só para ver as fotos e conhecer as novidades até aprender a ler. Com 10, “aprendi” a dirigir. Uso aspas, pois de primeira, saí andando sem deixar morrer e dirigi incrivelmente bem! Pode parecer mentira, mas o segredo do sucesso foi a embreagem quase no fim. Logo quando ela acabou, sofri para acostumar com a nova embreagem e conseguir tirar o carro do lugar, mas ele me fazia arrancar nas subidas várias vezes até sair sem cantar pneu ou deixar morrer! Enquanto eu não arrancasse na subida perfeitamente, ele não deixava eu desistir. E não adiantava chorar!

Sempre tivemos carros normais em casa, não somos pobres mas estamos bem longes de ser ricos. Escort (três deles, inclusive um Guarujá da minha mãe), Versailles, Tipo 2.0, Palio Weekend, Ford Ka, Fiesta (dois deles), Polo Classic. Todos usados, nunca tivemos carro 0km aqui. Como podem ver, nada de muito glamour até aqui. O único que tinha um carro relativamente diferente era meu tio, que possuía um Galaxie LTD 1969, o qual eu chamava de monstro quando era pequeno, pois o ronco do V8 era assustador! Era dele quase desde 0km, daily drive e adaptado para deficiente físico, pois ele ficou paraplégico quando novo (vale dizer que esse carro foi meu durante alguns anos recentemente. Usava toda semana, 100 reais de gasolina a cada dois dias… esse época foi loka!)

Project Cars #432 - Parte 1

Com 17, meu irmão resolveu abrir uma empresa de buffet de festas e comprou uma S10 V6 com 70.000 km apenas! Apesar do azar dele em não obter sucesso na empreitada, tive sorte e a S10 ficou pra mim quando completei 18 anos! Quer sonho maior que esse? Um V6 de 180cv como primeiro carro! Até hoje, acho que foi o carro que eu mais curti e tive apego emocional. Depois dela vieram um A3 1.8 aspirado (que foi uma grande decepção), que se tornou um Volvo C30 2.0 com um pequeno apoio financeiro, uma Volvo XC60 T6 e o tão sonhado 350Z, assunto principal da nossa conversa.

“Mas como assim?”- você deve estar pensando? Pois é! Um salto gigantesco em pouquíssimo tempo. Klapaucius? Motherlode? Calma, eu explico!

Você lembra que eu disse que não sou rico, certo? Isso é um detalhe muito importante, pois frequentemente sou julgado como riquinho, playboy, filhinho de papai por ter o carro que tenho hoje. Já me chamaram até de “ladrão sonegador” no sinal uma vez, para você ter uma ideia. A estrada foi árdua, cheia de trabalho, pesquisa e uma pitada de sorte.

Prosseguindo, até o C30 estamos ok, certo? Esse, inclusive, foi o primeiro carro que modifiquei algo. Pintei rodas, coloquei escape, filtro, essas coisinhas básicas, mas que já mudam a cara do carro e te deixam mais íntimo dele. Inclusive, foi assim que eu apaixonei em colocar escapamento direto em tudo! Se bobear, até na máquina de lavar roupa! Hoje fico imaginando como seria minha S10 com as seis bocas berrando alto…

Project Cars #432 - Parte 1

O C30 era extremamente novo, bem cuidado e com muitos upgrades que eu instalei. Tinha câmbio manual, escapamento com difusor por controle remoto, som Bose, adesivo Flatout (+15hp), Sprint Booster, Tire Lettering, e mais uns detalhezinhos estéticos. Um carro com custo x benefício excelente, se você quer saber! Mecânica do Ford Focus em quase sua totalidade (motor, suspensão e freios), com acabamento diferenciado e design maravilhoso. Costumamos dizer que é um Focus de terno e gravata. E você consegue ter um desses em bom estado por R$30.000, em média. Após um ano e pouco, o vendi por um bom valor com quase todos os upgrades (o bagde Flatout fica, falamos disso depois), para um rapaz de Florianópolis que pagou o carro sem ver!

Depois disso, em uma noite de trabalho (sou DJ), mandam um anúncio de uma XC60 T6 2009 com preço muito baixo no grupo de Volvo do whatsapp! Todos desconfiaram, brincaram que era golpe, que deveria estar um lixo e tudo mais, mas… enquanto tocava, mandei mensagem pro dono, fiz várias perguntas, fomos conversando e ele me garantiu que se tivesse algo errado com o carro pagaria minha passagem de avião de volta, já que o carro estava em Santos e eu sou de Belo Horizonte. Senti confiança e uma semana depois, eu estava voltando de Santos de XC60 T6 com aquele puta teto solar panorâmico, cheio de equipamentos, requintado, maravilhoso… um patamar que eu nem sonhava chegar! Foi um excelente negócio pra mim, pois infelizmente o ex-dono tinha sido demitido e estava com três financiamentos pendentes… então vendeu o carro muito barato. Acabei curtindo o carro por seis meses e tive um grande lucro com a venda! O vendi para um colega do grupo de Volvo, que acabou se tornou um amigo.

Vocês ainda estão por aí? Espero que sim, pois agora que a estrela do show entra em cena!

Com três meses de XC60, comecei a pesquisar o próximo alvo e tive a grata surpresa de descobrir os valores de 350Z! Estavam um pouco acima do valor da Volvo, mas era um 350Z, p#@!£@#!

Um ano antes, eu nem imaginava algum dia chegar perto de ter um desses. Na época do seu lançamento, lembro que estava passeando com meu pai e encontramos um exposto em uma churrascaria famosa daqui de BH. Paramos para ver e o vendedor foi muito atencioso, me deixando entrar no Z e me provocando para ligá-lo e acelerá-lo!

Pronto, a loucura estava plantada… por meses, eu só pensava, falava, sonhava e pesquisava 350Z! Meus amigos já estavam de saco cheio e nem me davam atenção mais (é sério). Minha namorada então, coitada. Já estava com medo de eu trocar o nome dela por Fairlady! Aqui abro um parênteses para agradecê-la: tirei na loteria e tenho uma melhor amiga/namorada/noiva/futura esposa que me apoia, me aguenta falando de carros 24h por dia e ainda gosta de carros.

Demorei outros três meses para vender a XC e pronto, finalmente estava livre para começar a olhar os 350Z que coubessem no bolso!

Pra quem não sabe, a linhagem Z é bem famosa e respeitada no Japão. Começou com o 240Z, em 1969, que também foi vendido nos EUA como Datsun 240Z. Depois dele, vieram 260Z em 1974, 280Z em 1975, 280ZX já com uma plataforma nova em 1978, 300ZX primeira geração, em 1984 e o 300ZX de segunda geração em 1990, grande conhecido aqui no Brasil também! Em 1999, a Nissan apresentou um carro conceito no Salão de Detroit, demonstrando interesse em criar mais um modelo da linhagem, tendo o 240z como inspiração (bem feio, para falar a verdade). Então, em 2003, a Nissan apresentou o 350Z, e o resto é história. Ficou em produção até 2008 (apesar de ter modelos 2009) e foi substituído pelo 370Z que nós conhecemos.

Project Cars #432 - Parte 1

As definições de wallpaper foram atualizadas!

Project Cars #432 - Parte 1

As definições de wallpaper foram atualizadas!

Alguns de vocês já sabem o quanto é difícil encontrar um 350Z em bom estado por aqui. É um carro de oito a 13 anos de idade, que com certeza tive um uso mais entusiasmado por um tempo e pode ter sofrido bastante durante a vida. Por esse motivo, nos meses em que eu ainda estava com a XC60, consegui mapear a maioria dos 350Z a venda no Brasil, placa, cor, quilometragem, por quanto foram vendidos etc., e fui ficando cada vez mais focado no sonho.

Cheguei a perder dois 350Z antes de comprar o que hoje é meu. Um deles quase aceitou a Volvo na troca mas acabou o vendendo à vista para outra pessoa. O outro, cheguei a ir na loja e um comprador de São Paulo já estava lá e acabou fechando negócio horas antes do que eu. Chateado, meus amigos e namorada me animaram, dizendo que se não foi, não era para ter sido e que o melhor estava por vir.

Mais uma vez, tive a sorte de encontrar um carro cujo dono precisava de dinheiro e me vendeu por um valor excelente. Negociação um pouco mais longa, conversa daqui, conversa de lá, e comprei passagem para realizar o sonho da minha vida, 1.300 km distante de casa. Minha mãe me chamou de irresponsável, meus irmãos perguntaram se eu tinha enlouquecido, mas minha parceira me apoiou, assim como meu melhor amigo, que além de amigo, foi psicólogo, consultor jurídico etc (valeu, Gustavo!)

Eu e ela fomos em uma segunda à noite (após três dias sem dormir), vimos o carro na terça de manhã e pegamos estrada à tarde. Tiramos um cochilo em São Paulo de terça para quarta, e pela manhã viemos para Belo Horizonte. Pronto! Eu era o feliz proprietário de um 350Z.

Project Cars #432 - Parte 1

A primeira vez que eu vi meu novo filho! Minha namorada disse que nunca viu meu olho brilhar tanto

Project Cars #432 - Parte 1

Oficialmente meu

Project Cars #432 - Parte 1

Na estrada!

Project Cars #432 - Parte 1

Já na garagem de casa

No próximo post, contarei sobre o estado do carro, os defeitos crônicos desse modelo que ninguém conta TOP SECRET e quais desses o meu carro veio sorteado! Até lá

Por Tulio Dourado, Project Cars #432

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #258: um acidente com o Tobias, meu Fusca 1300 1981

Leonardo Contesini

Audi RS2 “Senna”: os primeiros upgrades da superperua

Leonardo Contesini

Project Cars #234: os primeiros reparos e a volta à originalidade do meu Omega GLS

Leonardo Contesini