A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Três italianos em Genebra: Alfa Romeo Disco Volante, Pagani Zonda Revolucion e Maserati Alfieri

Além das novidades da Ferrari e do Lamborghini Huracán, Pagani, Touring Superleggera/Alfa Romeo e Maserati também levaram suas armas para disputar a atenção do público suíço em Genebra. A Pagani finalmente apresentou ao grande público o Revolución, a versão derradeira do Zonda, enquanto a Touring Superleggera apresentou uma nova variação do Alfa Romeo Disco Volante e a Maserati seduziu o público com um conceito arrasador. Confira os detalhes a seguir.

Maserati Alfieri

1

Um dos destaques italianos em Genebra foi o Maserati Alfieri, um conceito que antecipa a nova linguagem visual da marca, inspirada em modelos do passado como o 3500 GT de 1957 , o 5000 GT de 1959 e o Indy de 1969. Com um nome que homenageia um dos fundadores da marca, Alfieri Maserati, o Alfieri foi feito sobre um chassi encurtado do GranTurismo, e por isso é equipado com o mesmo V8 de 4,7 litros do cupê.

 

Apesar de ser apenas um conceito, é possível que o Alfieri seja produzido em um futuro próximo como sucessor do 4200 GT, que saiu de linha em 2007 para dar lugar ao GranTurismo. Caso seja produzido, o Alfieri usaria a mesma plataforma do Ghibli e do Quattroporte, e os novos motores V6 da marca — que têm entre 330 cv e 410 cv — para encarar rivais como o Porsche 911 e o Jaguar F-Type.

Pagani Zonda Revolución

19hiiv9vgh2c2jpg

A versão final do Pagani Zonda, batizada de “Revolución”, não é novidade para quem acompanha o universo dos supercarros. O modelo foi lançado em setembro do ano passado no Vanishing Point 2013, um evento privado da Pagani para seus clientes, mas esta é a primeira vez que o Revolución é apresentado ao grande público em um Salão do Automóvel.

Com apenas cinco unidades produzidas, o Revolucíon tem monocoque central fabricado com um composto de fibra de carbono e titânio, e pesa apenas 1.070 kg. O motor, como em todo Zonda, é um Mercedes AMG V12 aspirado de seis litros, e recebeu atualizações em relação à unidade usada no R para produzir 800 cv e 72,8 mkgf. A transmissão sequencial de seis marchas é feita de magnésio e permite trocas em menos de 20 milissegundos. O sistema de controle de tração do carro também é uma versão evoluída daquele usado nos modelos anteriores, e agora usa 12 ajustes diferentes.

19hiiv9vjb8d6jpg

O Revolución também tem novidades aerodinâmicas, como o agressivo conjunto de defletores dianteiros, estabilizador vertical na traseira e asa traseira com sistema de redução de arrasto (DRS) com opções de acionamento manual ou automático.

Para contrariar todo esse potencial de aceleração, o carro usa freios Brembo feitos de um tipo diferente de disco de carbono cerâmica que dura quatro vezes mais que os modelos comuns e, além de ter melhor resistência ao fading, são 15 % mais leves e têm maior poder de frenagem.

19hiivtlq4lx2jpg

Embora a Pagani não tenha divulgado dados de desempenho, com essas novidades e melhorias os números do Revolución devem ser sensivelmente melhores que os do Zonda R, que precisava de 2,7 segundos para ir de zero a 100 km/h e passava dos 350 km/h de velocidade máxima.

19hiiw5g423kzjpg

Para não deixar dúvidas quanto ao potencial do carro, Horacio Pagani ainda afirmou que o Revolucion é o Pagani mais rápido de todos. Infelizmente, para descobrir os números reais do carro, é preciso desembolsar US$ 3,85 milhões e ser um dos cinco primeiros da fila.

 

Alfa Romeo Disco Volante

_DSF1685 copy

Outro visitante não-inédito de Genebra foi o Alfa Romeo Disco Volante, que voltou à Suíça dois anos depois de ser apresentado como conceito no mesmo Salão de Genebra, em 2012. Desta vez, o supercarro inspirado pelo conceito de mesmo nome dos anos 1950 aparece já em sua versão final de produção e com uma nova combinação de verde e dourado e algumas mudanças no acabamento interno.

Construído à mão pela Carrozzeria Superleggera, o Disco Volante (“disco voador” em italiano) é baseado no Alfa Romeo 8C Competizione, e usa um V8 de 4,7 litros de origem Ferrari, com 450 cv de potência. Com o câmbio automático de seis marchas, o Disco Volante dispara do zero aos 100 km/h em 4,2 segundos e chega aos 290 km/h.

Matérias relacionadas

Ride the mountains: Transfăgărășan, a melhor estrada do mundo

Dalmo Hernandes

Couro automotivo: dos sintéticos camuflados ao saudoso Connolly Leather

Juliano Barata

Uhlenhaut Coupe: a história do primeiro Fórmula 1 de rua da Mercedes

Leonardo Contesini