A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

Esta moto com motor V12 Lamborghini é a prova de que algo pode ser esquisito e genial ao mesmo tempo

A gente já viu motos com motor de carro aqui nas páginas do FlatOuttemos até uma coletânea só com elas. Mas, diz aí, você já se cansou desse assunto? É claro que não. Enem a gente! Por isso, estamos pedindo uns minutinhos da sua atenção para falar sobre esta incrível moto com um motor V12 Lamborghini.

Ela tem proporções esquisitas — especialmente na dianteira, com um farol circular envolto por uma gigantesca carenagem —, mas não dá para dizer que seu visual retrô é de mau gosto. E aquele V12 com corpos de borboleta individuais ficaria bonito até em um Mitsuoka Orochi, é ou não é?

moto-lamborghini (3)

A moto é uma criação de Chuck Beck, um senhorzinho de idade que já criou réplicas absurdamente fiéis do Porsche 550 Spyder na década de 1980 e foi o responsável pelo visual do Ford Festiva SHOgun, o insano hatch de motor central-traseiro vindo de um Taurus SHO — aquele que é um dos carros favoritos do Jay Leno. Ou seja: estamos falando de alguém que sabe o que faz.

Pois Chuck tinha um motor V12 Lamborghini guardado em sua oficina havia uns 30 anos. Era o motor de um Lamborghini Espada, grand tourer de quatro lugares vendido entre 1968 e 1978, cujo V12 de 3,9 litros entregava até 350 cv. Um grande amigo de Chuck era dono de um exemplar e, quando o carro pegou fogo, deu a ele o motor — a única parte que ficou intacta.

Presentão, hein? Pois bem: Chuck passou anos pensando no que fazer com aquele motor parado em sua garagem, até decidir que criaria algo realmente diferente. E, bem, não existem muitas motos com motor V12 Lamborghini por aí, não é? Quer dizer, até existiu uma moto da Lamborghini na década de 1980, mas ela usava um motor Kawasaki de quatro cilindros. Definitivamente não é a mesma coisa…

lambobike2

Foto: Hooniverse

Enfim: para fazer a moto, Chuck viu que precisaria construir um chassi sob medida. E foi exatamente isto o que ele fez: a estrutura tubular foi feita especialmente para acomodar o motor V12, um transeixo Volkswagen automático de três marchas (usado em algumas versões da Volkswagen Transporter de primeira geração), e todos os componentes necessários para criar uma motocicleta funcional. O arranjo é curioso: o tanque de combustível fica entre o guidão e o farol (por isso a enorme carenagem), enquanto os radiadores ficam na traseira, afim de manter o calor o mais longe possível das pernas do piloto.

Estas imagens foram feitas no fim de 2014, quando a moto já estava montada e já se podia andar nela. É possível ver todos os componentes mecânicos e o capricho do projeto, que inclui um sistema de direção feito sob medida, painel de instrumentos, um enorme disco de freio na dianteira e belíssimos coletores de escape.

moto-lamborghini (4)

que o visual seja um tanto desproporcional, é simplesmente impossível contestar a qualidade de construção e acabamento — algo condizente com a experiência de seu criador.

Chuck diz que ainda não teve tempo de aprender direito a guiar sua moto com V12 Lamborghini mas garante que, em movimento, ela se comporta de forma bem parecida com a de qualquer outra moto. Ele também diz que o escalonamento do câmbio não permite que ela explore todo seu potencial (afinal, estamos falando daquilo que é essencialmente um motor V12 de 350 cv com rodas). Ainda assim, sua velocidade máxima é de cerca de 225 km/h. — você teria coragem de acelerar esta coisa até o limite?

moto-lamborghini (2)

Matérias relacionadas

Mike Brewer dá sua versão sobre a saída de Edd China em Wheeler Dealers: “os motivos são dele, não meus”

Dalmo Hernandes

Cutaways: desvendando a mecânica dos carros com ilustrações em corte – parte 2

Leonardo Contesini

Bugster: conheça o Fusca com motor (e todo o resto) de Porsche Boxster!

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados