FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #460

Project Cars #460: a história do meu Fiat Tempra Stile

É com enorme satisfação que retorno a este excepcional site de conteúdo automobilístico, com público apaixonado por veículos automotores! Me chamo Pierre, sou de BH/MG e estive presente há quase três anos com o PC #171 Uno Turbo Exploit 1995 lembram-se? Para quem não conheceu nem viu pode ler os três posts aqui, aqui e aqui. Agora estou de volta para apresentar o novo membro da família: Tempra Stile Preto Etna 1995!

Após ter o Uno Turbo a vontade foi crescendo muito por ter um carro maior que fosse originalmente sobrealimentado, ou seja, que constasse a potência extra no documento do veículo a fim de evitar problemas com os órgãos competentes. Desde novo sempre gostei muito do Fiat Tempra e pensei: já tenho o Uno Turbo, a Fiat possui outros modelos como o Tempra e o Marea. E decidi, então, por adquirir um Tempra Turbo.

Foram alguns meses de busca e procura nos principais sites e, infelizmente, percebi que este modelo sofreu tanto quanto o Uno Turbo. A maioria muito mal-cuidada, sem peças de acabamentos, quebrados, abandonados, assistidos por mecânicos despreparados que não sabem nada do carro nem do powertrain instalado. Procurava sim o Tempra Turbo duas, portas mais conhecido como TT mas o Tempra Stile quatro-portas me seduzia também.

Eis que em uma das buscas, em um domingo, vi um anúncio na internet e chamei o proprietário pelo Whatsapp. Conversamos alguns dias, me enviou fotos e vídeos do carro e a vontade foi crescendo. Descobri que o carro tinha participado do programa Acelerados no SBT e que não tinha dado muito certo na “volta rápida” devido a algumas questões técnicas.

Foi aí que tomei a decisão aproveitando que estava de férias e fiz um convite a um irmão meu, para que fossemos juntos conhecer o carro e, quem sabe, fechar o negócio. O grande detalhe é que sou de BH/MG como já sabem e o carro estava em Guarulhos/SP. Meu irmão Augusto aceitou de primeira o convite e acertei com o proprietário nossa ida. Seria em uma sexta feira, pegaríamos um avião em BH com escala em Ribeirão Preto/SP e depois chegaríamos em Guarulhos/SP. Ficou acertado que o proprietário do carro iria com o mesmo nos buscar no aeroporto, daríamos uma volta e se tudo estivesse certo já iríamos para o cartório assinar e reconhecer firma dos documentos.

A ansiedade era grande e chegou o dia da viagem.

Conforme falei tivemos que fazer uma escala em Ribeirão Preto/SP e que demandaria cerca de umas quatro horas na cidade. Descemos, e para não ficar no aeroporto, que aliás, é muito pequeno, pegamos um táxi e fomos para o centro.

Já eram quase 10 horas da manhã, fizemos um lanche e percebemos na praça da cidade um restaurante, que inclusive também tem em BH, o “Pingüim”! Já que teríamos de aguardar o horário do próximo vôo e o aeroporto era próximo do centro, sem congestionamento, por que não sentar, conversar, tomar um chopp e diminuir a ansiedade?

20160520_102518

Com a hora chegando pegamos novamente um táxi e fomos para o aeroporto, agora sim, sabendo que ao desembarcar novamente estaria frente a frente com o carro que estava indo conhecer pessoalmente e com grandes chances de trazê-lo para BH! Dependeria apenas do proprietário e da veracidade sobre as informações passadas por ele em relação ao veículo.

20160520_072739

Chegamos em Guarulhos/SP e tudo correu conforme o combinado. Ele nos buscou no aeroporto com o carro e pegamos uma estrada onde pude dirigir um pouco, sentir o carro e tomar a decisão: FECHADO! Nos dirigimos para o cartório, recibo assinado e carimbado, fomos para a residência dele. Ficamos em um hotel próximo e gentilmente nos permitiu deixar o carro dormir na sua garagem. Até mesmo, antes de dormir, a última foto do dia teria que acontecer para deixar registrado o momento!

20160521_074108

Meus amigos, confesso que foi difícil dormir, pois, a ansiedade de finalmente estar com o carro e curtir aproximadamente 550 km em uma estrada, retornando a BH, e ao mesmo tempo não saber como o carro se comportaria, se iria estragar, se voltaria bem, se teríamos algum problema!

WhatsApp Image 2018-01-12 at 22.41.06 WhatsApp Image 2018-01-12 at 22.41.06(1)

Eis que amanheceu, pegamos o carro e finalmente, #estrada!

Como puderam observar no pequeno vídeo tudo no carro funciona desde o painel, computador de bordo, check control, rádio, ar-condicionado dentre outros. Foi uma viagem de retorno com cautela, mantive 100 km/h pois não sabia o que realmente poderia ter debaixo do capô, quem já havia mexido e o que teria feito, como estava realmente a vida útil do turbo compressor, injeção, óleo, dentre outros. Graças a Deus chegamos, deixei meu irmão em sua residência e fui direto a um posto de gasolina lavar o carro, pois, pegamos chuva na saída de SP.

IMG-20160522-WA0000

Já em casa, no domingo, o carro tinha sido lavado e era hora de passar ao menos uma cera de leve, para realmente ver o brilho e o que poderia ter de imperfeição na lataria. Aproveitei e fiz um vídeo após a cera, na porta de casa, e foi onde comecei a perceber detalhes que deveriam ser arrumados como estofamento de couro já ressecado, rasgado e costurado de qualquer jeito, pequenas alterações feitas no motor que não me agradaram dentre outros. Mas no geral percebi que o carro tinha potencial e poderia sim voltar a fazer o mesmo que fiz no Uno Turbo (PC#171).

No próximo post falaremos sobre preparação, upgrades e demais modificações feitas no carro até o momento. Foram 16 meses na oficina onde praticamente tudo foi refeito do zero.

Até lá!

Por Pierre Dolabela, Project Cars #460

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #288: escolhendo pneus e rodas e a volta às pistas do Fiat Palio de Rali

Leonardo Contesini

Project Cars #292: a saga do Maverick V8 1975 continua

Leonardo Contesini

Project Cars #125: a compra e o início da preparação do Lancia Delta HF Turbo

Leonardo Contesini