A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Edições anteriores

FlatOut Edição 22: o novo HB20, o adeus a Anísio Campos e Luigi Colani, os Porsche mais exclusivos e mais!

Caros leitores, muito bem vindos à mais nova edição do FlatOut Brasil! Aqui temos elencadas as matérias exclusivas para assinantes. Caso você ainda não faça parte do universo do FlatOut, clique aqui e assine agora mesmo! Caso queira conferir as edições anteriores, clique na imagem abaixo.


 

Lançamentos

Novo Hyundai HB20 é lançado e parte de R$ 46.490 – conheça as versões, preços e equipamentos

A Hyundai, enfim, revelou por completo a nova geração do compacto HB20. O modelo de entrada da marca ganhou uma plataforma atualizada, derivada da primeira, porém com maior proporção de aços de ultra-alta resistência. O visual também evoluiu, por fora e por dentro, enquanto um novo motor 1.0 turbo, mais potente e tecnologicamente avançado, foi introduzido. A fabricante já apresentou de uma vez o HB20 hatch, o sedã HB20S e o aventureiro HB20X. Sabemos bem o carro que está em sua mira: o Chevrolet Onix, que também acabou de chegar à sua segunda geração. Clique aqui para ler.


 

Car Culture

Duas horas ao telefone com Anísio Campos

Sexta-feira, 9 de março de 2012. Estou em São Paulo, na casa do meu sogro, esperando o fim de semana. Na época eu estava em meu segundo ano no Jalopnik Brasil e fui chamado para um freela na Car and Driver Brasil — onde trabalhava um certo Juliano Barata. Ele me mandou um email oferecendo duas pautas — uma de design e outra com Rubens Barrichello. A primeira eu matei logo na primeira semana. A segunda… bem, essa eu nunca consegui fazer porque Barrichello estava prestes a fechar com a Indy e sua assessoria optou por não atender nenhum jornalista naquela semana. E eu nem queria falar sobre automobilismo. Com isso, ganhei uma nova missão: fazer uma entrevista curta, de apenas três perguntas, com Anísio Campos. O negócio durou duas horas. Clique aqui para ler.


 

Os sete misteriosos Porsche 959 do Sheik do Qatar

Mesmo sendo um dos mais raros e exclusivos Porsche do seu tempo, o 959 atraiu todo tipo de cliente endinheirado – alguns deles, com fortunas praticamente inimagináveis. Um deles, assim como o Sultão do Brunei, vinha do Oriente Médio. Ele era um Sheik do Qatar, e encomendou não um, não dois, não três, mas SETE exemplares do Porsche 959. E eles levaram quase 30 anos para verem a luz do dia e a cor do asfalto. Clique aqui para ler.


 

O inovador (e polêmico) design de Luigi Colani

O controverso Luigi Colani, criador de alguns dos designs mais ousados e polêmicos da indústria automotiva, morreu nesta semana, aos 91 anos de idade. Conheça um pouco mais de sua história, além dos carros mais marcantes que ele fez, no FlatOut! Clique aqui para ler.


 

O guia de versões especiais do Porsche 911 | Parte 3: a geração 997

Em suas quatro primeiras gerações a Porsche teve pouquíssimas versões especiais — elas se limitaram a edições de aniversário e a “dribles” na legislação americana. Diferentemente do que muitos pensam, algumas versões raras das gerações 964 e 993 — como as Speedster — não são versões especiais, mas modelos de série com produção mais curta que a das demais versões. Isso começou a mudar a partir da geração 997, que teve quatro versões especiais globais e outras sete versões regionais. Clique aqui para ler.


 

Nissan March Autech MID-11: a obscura história do “Clio V6 japonês”

No fim da década de 1990, a Nissan se inspirou no contemporâneo Clio V6 para dar ao March uma versão de motor central-traseiro – e não era qualquer motor, mas sim o icônico SR20, usado pelo Nissan Silvia. O resultado foi um dos pocket rockets mais obscuros já feitos. Clique aqui para ler.


 

História

Ford Midshipman, o rival do Fusca que (obviamente) nunca existiu

No fim dos anos 1950, todas as fabricantes norte-americanas estavam tentado criar um rival à altura do Fusca. Este aqui provavelmente foi o mais estranho de todos eles: um hatchback de motor central traseiro, com um canopi na dianteira, uma espécie de caçamba de picape e estilo inspirado nos “rabos-de-peixe”. Clique aqui para ler


 

Sir Stirling Moss, 90 anos: o melhor piloto do mundo que nunca foi campeão

Sir Stirling Moss completou 90 anos nesta semana. Para homenageá-lo, contamos a história desta lenda viva do automobilismo – o melhor piloto do mundo que nunca foi campeão, e só se aposentou das pistas de verdade quando já era octogenário. Clique aqui para ler.


 

Supercar scare: a guerra contra a velocidade na Austrália dos anos 1970

Nos anos 1970 a disputa em Bathurst levou os fabricantes a evoluir cada vez mais seus esportivos para fins de homologação. Isso resultou em sedãs e cupês de rua com mais de 400 cv e capazes de chegar aos 250 km/h nas vias públicas sem limites. Em 1972! Clique aqui para ler.


 

Técnica

Os ultracapacitores poderão substituir as baterias nos supercarros elétricos e híbridos?

À primeira vista o Lamborghini Sián não tem nenhuma grande novidade em relação aos demais modelos híbridos. Em 2013, por exemplo, Ferrari e McLaren já tinham o mesmíssimo arranjo do Sián: um motor elétrico ensanduichado pelo motor a combustão e pelo transeixo. Contudo, a grande inovação do Sián talvez tenha passado despercebida: a alimentação do motor elétrico não é feita por uma bateria, mas por um conjunto de supercapacitores. É por isso que o conjunto elétrico pesa pouco mais de 30 kg: a única bateria do carro é uma bateria de 12 volts comum, instalada na dianteira para o sistema elétrico comum do carro (painel, faróis, retrovisores, travas etc). Mas… por que os carros elétricos não trocam as baterias pelos capacitores e resolvem de uma vez o problema do peso e do tempo de recarga? Clique aqui para ler.


 

Não, o motor do Opala quatro-cilindros não é o Iron Duke americano

Como um dos automóveis mais emblemáticos e queridos do Brasil, é natural que o Chevrolet Opala tenha uma boa dose de mitos em seu entorno. E uma das maiores fontes de confusão em relação ao Opala diz respeito ao motor de quatro cilindros e 2,5 litros, disponível desde o lançamento em 1968.Embora seja sabido que sua origem é o motor 153 do Chevrolet Chevy II, há quem insista que o motor 2.5 é, na verdade, o Iron Duke da Pontiac. Mas ele não é. Clique aqui para ler.


 

Matérias relacionadas

FlatOut Edição 04: a evolução de Zandvoort, as curvas americanas, os 20 anos do Classe A e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição 18: discutindo o trânsito, um guia FlatOuter de parafusos, a história das peruas Audi RS e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição 05: aceleramos Argo Trekking e Range Rover Velar, nosso adeus a Niki Lauda e mais!

Leonardo Contesini